• Vinicius Casagrande

5 passos fundamentais para um e-commerce seguro



Garantir a segurança do e-commerce nos dias de hoje é quase um pré-requisito para manter uma boa reputação e gerar vendas.


Segundo pesquisas, em um mês, as tentativas de fraude em compras online aumentaram 18%.


Para qualquer loja, a segurança é sempre importante. Em locais físicos, é normal que os lojistas instalem câmeras e contratem seguranças para reduzir as chances de fraude e roubo. Nas lojas virtuais, esse problema também deve ser prioritário.


Antes de efetuar uma compra, o usuário visualiza anonimamente seu catálogo de produtos e, para finalizar a compra, necessita apenas de alguns dados pessoais e do número do cartão. Por exemplo, tudo isso torna difícil determinar se o titular do cartão é a mesma pessoa que o comprou.


Mesmo com o uso de múltiplas ferramentas antifraude, o número de tentativas de contornar esses sistemas continua a aparecer, ou seja, um e-commerce desprotegido pode facilmente se tornar um alvo. Portanto, é importante provar a segurança do e-commerce para evitar fraudes e não assustar afastar mais clientes suspeitos.


1. Selo

O selo ajuda a melhorar a segurança do e-commerce, principalmente sua reputação entre os clientes. Os mais reconhecidos são: Ebit, Site Blindado, mais sazonal: Black Friday Legal.

  • EBIT

O Ebit permitirá que seus clientes avaliem sua experiência em e-commerce, considerando todo o processo de compra de seus clientes, inclusive o pós-venda.


Existem diferentes graus de selos: bronze, prata, ouro e diamantes, este último é muito credível.

  • Site Blindado

O selo do Site Blindado é usado para verificar possíveis ataques e invasões nos dados fornecidos pelos clientes, incluindo rastreamento de malware, prevenção de infecções e envio de informações de diagnóstico de comércio eletrônico.


É um selo de alta credibilidade, pois é utilizado pelas principais marcas de e-commerce.


  • Black Friday legal

Esse tipo de selo é muito interessante para melhorar a segurança do e-commerce, principalmente para o consumidor.


Na época da Black Friday, quase todo e-commerce tem descontos e eles mudam constantemente. Os clientes podem ser bombardeados por tantas mudanças de preços e se sentirem inseguros.


Esse certificado é emitido pela Câmara Brasileira de E-commerce e mostrará aos seus consumidores que seu site está em conformidade com as melhores práticas do setor e as diretrizes éticas que as acompanham.


2. Espelhamento de servidor

O espelhamento de servidor é outra ferramenta muito útil que pode melhorar a segurança do e-commerce, pois permite fazer backup das informações no banco de dados do site.


Resumindo, funciona criando cópias de servidores paralelos, o que permite que se algum deles falhar, o que pode representar uma tentativa de intrusão, o outro servidor será acionado imediatamente, dificultando as diversas formas de fraude.


3. certificado SSL

Provavelmente, esse é o mais comum em muitos sites, portanto, é essencial para a segurança do comércio eletrônico.


O certificado SSL, ou Secure Sockets Layer, é basicamente uma tecnologia que garante a proteção das informações trocadas em um site. Ele usa criptografia para operar de forma que seus clientes possam garantir a privacidade das informações.


Pode ser identificado pelo cadeado verde no canto da página ou pelo URL que deve incluir o prefixo: "https: // ...".


Esta é uma forma fácil de ser percebida pelos usuários, mas é tão básica e primordial se torna indispensável.


Para o e-commerce, proteger e garantir a proteção dos dados pessoais e bancários dos clientes é essencial durante o checkout.


4. Sistema antifraude

Esse tipo de sistema busca informações cruzadas na tentativa de identificar possíveis inconsistências que possam ser indícios de tentativa de fraude.


Por meio desse serviço, os dados do cliente são coletados e o próprio sistema tenta verificar se o conteúdo notificado realmente "corresponde".


Essas ferramentas geralmente usam informações de registro, como:


Localização: Verificar o endereço de entrega e o endereço de cobrança já pode dar sinais suspeitos.

Código de segurança do cartão: O número é a informação que só pode ser extraída do cartão físico em circunstâncias normais, o que oferece mais proteção para a compra.

Perfil do consumidor: algum histórico de compras é usado para verificar se este tipo de compra é o comportamento normal do cliente


5. Contratar um serviço especializado

Se você precisa de uma solução que abranja todas as necessidades de um e-commerce e não sabe por onde começar, você pode contar com as soluções AKAMAI.

A Akamai conta com diversos serviços de segurança para e-commerce. Somente no período 2018-2019 a AKAMAI registrou 662.556.776 tentativas de ataques financeiros. 20% das tentativas de ataques em 2020 tiveram como alvo API endpoints. Entre em contato a EXBIZ para ter acesso ao relatório completo de volume e tipos de tentativas ataques registrados na estrutura da AKAMAI.



Esperamos que este artigo tenha sido útil para você e para obter mais informações sobre as soluções AKAMAI clique aqui.


Veja também um artigo sobre 5 dicas para evitar ataques Ransomware em sua empresa


(11) 3878 5800 comercial@exbiz.com.br


1 visualização0 comentário